síndico profissional

Síndico Profissional: Um mercado em ascensão

Foi-se o tempo em que o síndico era obrigatoriamente um morador, o qual disponibilizava seu tempo para gerenciar as atividades necessárias ao andamento dos empreendimentos. Com a chegada do artigo 1.347 do Código Civil, que regulamentou a atuação de indivíduos estranhos ao condomínio, e a complexidade cada vez maior desses locais, a profissão de síndico profissional foi tomando corpo e hoje se encontra em ascensão.

O que faz um síndico profissional?

Os síndicos profissionais foram surgindo na medida em que as pessoas iam se adaptando à nova legislação e começaram a ter cada vez menos tempo em relação ao aumento das atividades administrativas de um condomínio.

Esses, por sua vez, tiveram um aumento significativo nos últimos anos e são responsáveis por um mercado bastante expressivo. Somente na Região Metropolitana de São Paulo, por exemplo, o setor de condomínios movimenta cerca de R$3 bilhões por mês, e gera mais de 250 mil empregos diretos.

Nesse cenário, o síndico profissional atua como um colaborador contratado pelos condôminos, muitas vezes por meio de administradoras, para fazer a gestão condominial com mais conhecimento e expertise no assunto.

Entre as atribuições desse profissional estão:

  • administrar os condomínios;
  • gerenciar os fundos de reserva;
  • organizar cronogramas de obras e manutenções;
  • fiscalizar o trabalho de funcionários e prestadores de serviços;
  • atender as necessidades dos moradores e mediar conflitos;
  • fiscalizar ações judiciais e inadimplências;
  • organizar e garantir que todos os moradores sejam convocados para assembleias;
  • garantir a preservação das áreas comuns dos condomínios.

Quais são as habilidades de um bom síndico profissional?

Apesar de o Código Civil ter permitido que terceiros atuassem como síndicos profissionais nos condomínios, não há uma regulamentação que exija formação específica.

Porém, para atuar como síndico profissional, são necessárias habilidades importantes, as quais contribuirão para o bom desempenho das tarefas que devem ser desempenhadas no dia a dia da profissão. Veja algumas delas:

Responsabilidade

O síndico profissional, assim como o síndico morador, é representante do condomínio tanto em juízo quanto fora dele. Ou seja, no caso de processos judiciais, por exemplo, esse será responsabilizado.

Portanto, uma qualidade essencial desse profissional é a responsabilidade. Ele deve saber que, por mais que essa seja uma profissão com perfil dinâmico, requer também uma grande seriedade, já que está lidando com o patrimônio e o bem estar de muitas pessoas.

Transparência

Outra habilidade necessária a esse profissional é agir com transparência. Ou seja, ter a maior clareza possível no que diz respeito as finanças do condomínio, orçamentos e tudo o mais que envolva os interesses coletivos.

Para demonstrar que está realizando uma gestão transparente, deve se valer de algumas ações, como realizar reuniões frequentes com conselhos e condôminos, além de movimentar as contas bancárias em conjunto com o subsíndico, quando houver, ou com algum membro do conselho.

Liderança para gerir conflitos e propor soluções

Podemos dizer que o síndico profissional atua também como um gestor de pessoas. Isso no que diz respeito aos funcionários que deve fiscalizar e também a situações que requerem liderança, como a proposição de ações inovadoras e a mediação de conflitos.

Organização

Muitas tarefas que competem ao síndico são burocráticas e contém uma série de documentos. Caso o profissional seja desorganizado, pode acabar se perdendo em comprovantes, notas fiscais e uma infinidade de papeis que demonstrariam o trabalho que está sendo realizado e os resultados obtidos. Ou seja, a gestão seria falha.

Portanto, organização é essencial para quem pretende atuar nessa profissão. Inclusive, para auxiliar os profissionais, hoje existe uma grande diversidade de sistemas e softwares de gestão que tornam os documentos digitalizados e facilitam o seu gerenciamento.

Vantagens e desvantagens de contratar um síndico profissional

É comum o questionamento sobre o que mais vale a pena para o condomínio: eleger um síndico morador que esteja no dia a dia do empreendimento ou investir nos serviços de um síndico profissional.

E a resposta é: depende. O que influencia em uma melhor decisão são fatores como o tamanho do condomínio, se um morador, juntamente a uma administradora, por exemplo, daria conta das atividades, e também o orçamento disponível.

Isso porque a contratação de um síndico profissional costuma sair mais cara do que o síndico morador, já que esse pode receber somente a isenção condominial ou uma simbólica ajuda de custo.

Já o síndico profissional tem nessa função a sua ocupação principal e, para isso, deve receber um salário. Sua remuneração depende do tamanho dos empreendimentos, estrutura a ser gerida, entre outros aspectos.

Porém, esse valor, que a princípio pode pesar na hora de uma decisão, deve ser pensado também como um custo-benefício. Afinal, alguém realmente capacitado e experiente estará à frente da gestão do condomínio.

Com seu conhecimento, o síndico profissional pode criar estratégias para enxugar custos, propor soluções, fazer as contratações mais adequadas, entre outras tarefas que fazem a diferença na administração condominial.

Cuidados ao contratar um síndico profissional

Como você pôde ver, a contratação de um síndico profissional traz uma série de benefícios. Porém, assim como em qualquer outra profissão, é fundamental ter alguns cuidados antes de preencher essa vaga. Confira quais são eles:

  • verifique qual a formação do profissional. Geralmente os síndicos profissionais possuem ensino superior ou cursos técnicos voltados à áreas administração, contábeis ou financeira;
  • questione sobre as especializações realizadas recentemente. Com as mudanças constantes em legislações e outros fatores, o ideal é que esse profissional esteja conectado com o mercado;
  • peça referências sobre o profissional em condomínios já atendidos por ele;
  • caso a contratação seja por empresas terceirizadas, verifique se essas são idôneas e se possuem experiência na área;
  • solicite um contrato onde constem todos os detalhes do serviço, assim como a forma de pagamento;
  • depois de contratar, monitore constantemente o trabalho desse profissional para avaliar a sua performance, ética e transparência junto ao condomínio.

Aqui você pôde conhecer vários detalhes sobre o trabalho de um síndico profissional não é mesmo? Fique por dentro de mais informações sobre a profissão, saiba quais são os principais desafios da gestão de condomínios.

Está interessado em contratar esse serviço? SOLICITE UM ORÇAMENTO AQUI.

Mas se restou alguma dúvida? Você sabe quais os deveres de uma administradora de condomínio? Temos a resposta aqui.

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário