gestão de condomínios

Gestão de condomínios: Principais desafios para o síndico

A gestão de condomínios envolve uma série de atividades, como as administrativas, contábeis, financeiras, recursos humanos e manutenção.

A gestão de condomínios pode ser comparada à administração de um negócio. Afinal, assim como nas organizações, os empreendimentos dependem de inúmeras tarefas e responsabilidades para terem um bom andamento.

Nesse cenário, é fundamental que haja uma administração focada e assertiva por parte do síndico, o qual atua como representante dos condôminos, em juízo e fora dele. É papel desse profissional manter a ordem e a boa convivência nos empreendimentos.

Além disso, no auxílio ao síndico estão as administradoras de condomínio, as quais devem atuar proativamente na assessoria e resolução de tarefas indicadas pelo profissional.

Porém, não basta boa vontade para uma boa gestão de condomínios. É preciso enfrentar uma série de desafios para melhorar a qualidade da administração, gerando economia e provendo mais conforto e segurança aos condôminos. Veja os são os principais deles:

Redução dos custos do condomínio

Esse pode ser considerado o principal desafio do síndico na gestão de condomínios. Afinal, com custos reduzidos há uma maior dificuldade em obter orçamento disponível para honrar com todas as despesas mensais, como pagamento de funcionários e materiais.

Para que a administração de recursos seja positiva, o síndico deve contar com o auxílio do conselho fiscal para que, juntos, criem ações para minimizar gastos com fornecedores, reduzir os desperdícios e revisar custos desnecessários.

Uma dica é trabalhar com análise de fluxo de caixa para que seja possível observar gargalos e o destino dos recursos, de maneira a reduzi-los ou eliminá-los.

Prestar contas

Todos os meses o síndico deve prestar contas aos condôminos durante as assembleias. Para isso, é necessário manter-se organizado e demonstrar as movimentações financeiras do condomínio, com seus recebimentos e pagamentos, da forma mais clara possível.

Isso demanda esforços e tempo. Nesse sentido, a gestão de condomínios deve se valer, além da atuação do síndico, das administradoras, as quais podem cuidar das ações operacionais.

Medir conflitos

Uma das obrigações do síndico é zelar pela boa convivência nos condomínios, de forma com que haja um ambiente saudável e tranquilo.

Porém, com um grande número de pessoas fazendo uso de um espaço, é comum que aconteçam conflitos das mais variadas ordens, como barulhos em horários impróprios, uso indevido das garagens e trânsito de animais de estimação nas áreas comuns.

Manter a ordem nesses empreendimentos é um verdadeiro desafio da gestão de condomínios. Para que o síndico possa superá-lo é necessário ser paciente, empático e, ao mesmo tempo, se manter imparcial.

Além disso, o profissional deve estar sempre amparado pelo regulamento interno e o que ficou definido em assembleias, de forma a estar embasado na mediação de conflitos e na aplicação de possíveis punições.

Cuidar da segurança do condomínio

O tamanho dos atuais condomínios e o aumento constante na insegurança fazem com que a gestão de condomínios precise estar muito atenta em relação à segurança do empreendimento e das pessoas que neles vivem.

O ideal é que seja elaborado um plano de segurança, o qual envolva equipamentos, sistemas e profissionais, e criadas ações de conscientização de colaboradores e condôminos.

Além disso, a contratação de um bom seguro para o condomínio, o que é uma obrigação do síndico, garante a reposição de bens em casos de furtos e roubos.

Qual o papel da administradora na gestão de condomínios?

Uma solução eficiente para a gestão de condomínios é a contratação das administradoras de condomínios.

Elas têm a função de auxiliar e assessorar o síndico em inúmeras tarefas, as quais envolvem a gestão financeira, gestão de recursos humanos, gestão jurídica e gestão administrativa.

É importante frisar que, por mais que as administradoras estejam à frente de variadas atividades, elas não são responsáveis pela tomada de decisão.

O que essas empresas podem fazer é sugerir estratégias para o síndico, e esse define se as realiza ou não.

Veja algumas atribuições das administradoras de condomínios:

  • cuidar das contas a pagar;
  • gerenciar o fundo de reserva;
  • elaborar demonstrativos de receitas e despesas;
  • assessorar a prestação de contas e previsão orçamentária;
  • elaborar folhas de pagamento;
  • gerenciar o pagamento de encargos trabalhistas;
  • emitir e enviar boletos de pagamento das taxas condominiais;
  • organizar pastas de prestação de contas.

Como você viu, a gestão de condomínios envolve uma série de desafios que devem ser superados pelos síndicos. Para que isso aconteça, esses podem contar com o apoio das administradoras de condomínios para a execução de diversas tarefas.

Gostou do nosso artigo, Ficou alguma dúvida? Então para ficar mais esclarecido leia aqui, QUEM É QUEM NA ADMINISTRAÇÃO DO CONDOMÍNIO.

 

 

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário